17 agosto 2015

Testei–Condicionador n°23 Acidifying da NPPE

condicionador

A resenha de hoje é de um condicionador maravilhoso, simplesmente necessário para quem faz ou já fez qualquer tratamento químico nos fios, pois sela as cutículas novamente aproximando ao que seria um fio “normal”.

A proposta da NPPE é a seguinte:

Nº23 Acidifying Conditioner é um condicionador ácido balanceado que restaura o pH natural de seus cabelos. Recupera a umidade, promove elasticidade e devolve o brilho perdido nos tratamentos químicos dos seus cabelos.

Ele tem uma textura molenga, pois isso é fácil de espalhar nos fios.

Um cheiro que muita gente acha agradável, eu acho bem mais ou menos, mas como não permanece nos fios acabo não me importando muito.

Assim que aplico sinto o cabelo imediatamente mais macio, faço como a fabricante recomenda e deixo alguns minutos, quando retiro o cabelo está bem desembaraçado e a maciez permanece.

É o tipo de condicionador ideal para acabar com os fios porosos, pois sela novamente as cutículas, já que tem um ph levemente ácido.

Ideal após uma máscara de tratamento, uso ele quase todo dia (já que o ph é baixo, mas nem tanto a ponto de danificar os fios), mas deixo um pouco mais no dia da reconstrução, pois acaba com o aspecto rígido que pode aparecer depois dela.

Com isso estou recuperando meu cabelo, a porosidade está indo embora, deixando um aspecto saudável e natural.

condicionador composição

Comparando com o da K. Pro, bem o da nppe (ph 4.35) é para uso diário, um tratamento gradual que aparece depois de um tempinho, já o da K Pro é um pouco mais forte (ph 2.5) por isso exige um tempo entre uma aplicação e outra, logo a longo prazo demora um pouco mais para acabar com a porosidade dos fios (comparando com o da nppe, se usado após toda lavagem).

Além disso, o da nppe tem um ativo que amo que é o colágeno e da super certo no meu cabelo!

Se vc usa qualquer tipo de química, vale a pena conhecer esse condicionador e colocá-lo em sua rotina, a melhora do cabelo realmente é excepcional.

A média de preço dele é de R$ 60 a R$ 70 (tem aqui na bnw) e a embalagem vem com 250 ml.

16 agosto 2015

Resenha–Shampoo Controle Extremo Séotres

IMG_20150808_114250729

Como sempre reclamo por aqui da oleosidade excessiva da minha raiz, a marca Séotres acabou me enviando um kit, para cabelos oleosos.

A descrição da fabricante é a seguinte:

O controle que os cabelos oleosos precisam você encontra na linhaSéotres Controle Extremo. Formulada para proporcionar limpeza sem agredir os fios, esta linha recupera o equilíbrio dos cabelos, deixando-os com aparência saudável. Desenvolvida através da Tecnologia Séotrix, que potencializa a ação dos ativos, e enriquecida com óleo de ojon, proteína hidrolisada de soja e extrato de alga marron, a oleosidade da raiz é controlada sem ressecar os fios.

O primeiro passo é a máscara esfoliante, que gostei muito, mas preciso testar mais antes da resenha, por isso vou falar primeiro sobre o shampoo que é de uso diário.

Segundo a marca: “Etapa responsável pela limpeza dos fios, o Shampoo Séotres Controle Extremo equilibra o couro cabeludo, fazendo com que os cabelos mantenham apenas sua oleosidade natural. Este produto deve ser utilizado em todas as lavagens, até mesmo em dias que a máscara esfoliante for utilizada.”

Ele tem uma textura bem cremosa, é perolado, alguns momentos sua textura parece uma teia, é bem diferente para um shampoo.

Aplico dando ênfase para a raiz, percebo o cabelo ficando áspero, mas depois com o condicionador já de imediato ele vai soltando e voltando a ficar macio.

Lavava os cabelos praticamente diariamente, mas agora estou conseguindo fazer isso dia sim dia não, logo foi uma grande evolução.

IMG_20150808_114301789

Sinto o cabelo bem limpinho, soltinho e o shampoo tem um cheiro bem gostoso.

Ele é bacana porque normalmente shampoo para cabelos oleosos acaba deixando os fios secos demais, mas esse não fez isso e nem desbotou a cor do meu cabelo (mais do que o normal).

Gostei muito de conhecer a linha, estou tentando me policiar para usar mais a máscara pré shampoo, para poder resenhar com detalhes.

O site da marca é esse daqui.

15 agosto 2015

Testei–Pó Stay Matte da Rimmel London

IMG_20150808_113109541

Muito tempo atrás, acabei comprando esse pó para substituir o blot da MAC que estava acabando, já que as propostas são parecidas.

A descrição do Stay Matte da Rimmel London é a seguinte:
Até 5 horas de controle do brilho natural da sua pele com minerais. Ajuda a cobrir os poros. Testado dermatologicamente.
Ele é um pó com quase nada de cor, ou seja, se adapta muito bem mesmo se errar uma tonalidade acima ou abaixo devido a baixa cobertura.
Bem fininho, mas esfarela bastante, então tenho que tomar cuidado para não pegar demais com o pincel.
Tem um cheiro ruim de talco velho, mas some depois de alguns instantes.
Deixa a pele sem brilho por algumas horas, entre 3 a 4, aproximadamente em dias quentes.
Deixa a pele seca, porém quem olha percebe que vc passou pó, porque embora ajude a esconder os poros (etc), acaba “marcando” a pele que perde um pouco a sua naturalidade.
IMG_20150808_113125603
Comprando: acho o blot da MAC muito mais fininho, além disso, percebi que ele segura a oleosidade por mais tempo, mas o preço da Rimmel é muito inferior a esse.
Conclusão: quebra um galho, disfarça bem a oleosidade e é baratinho, mas infelizmente não é vendido no Brasil (comprei na Feelunique).

Compraria novamente, embora não foi amor a primeira vista, nem ao primeiro uso!

14 agosto 2015

Tonalizantes (ruivas) – Color Intense, Keraton, Etc

IMG_20150808_155450601

Hoje vou comparar os tonalizantes que já usei, mostrar as cores que costumo passar, além de falar um pouco de cada marca.

Para início de conversa, temos duas potencias no mercado, o Color Intense do C. Kamura e o Keraton da Kert.

Eu comprava um, depois o outro, minha prioridade na verdade era encontrar qualquer um dos dois, pois algumas épocas eles desapareciam do mercado.

O primeiro da imagem é o Madri do C. Kamura (a embalagem até é a antiga) porque usei muito pouco, ele é um vermelho “puro” mais escuro, sempre que queria brincar e “avermelhar” um pouco jogava um pouco dele nas minhas misturinhas.

O segundo é o Conhaque do C. Kamura Tb, que é o cobre avermelhado, acredito que o mais amado da marca (tanto que a concorrente Kert até lançou um agora com o mesmo nome).

O terceiro é o Cobre do C. Kamura também, que embora tenha uma cor bem diferente do anterior, ambos proporcionam um resultado bem parecido.

IMG_20150808_155800138

Só dá para perceber a diferença no resultado se não realizar nenhuma mistura (com creme branco), o que eu não gosto de fazer já que pode manchar facilmente (ainda mais quando o cabelo é claro).

Logo nunca senti muito essa diferença entre eles, mas quando queria deixar um pouco mais vermelho, usava o madri com o conhaque.

O quarto é o Cobre da Kert, que usei bastante, mas como já comentei em uma postagem bem antiga, tem um ótimo resultado, porém ainda insisto que o color intense da marca concorrente deixa os fios com uma aparência melhor, com mais brilho e macio, além de durar um pouco mais nos cabelos.

O quinto é o Cobre da Kert só que na versão henna, nem comentei sobre ele antes porque deixou o meu cabelo super laranja, além disso manchou todo o meu cabelo e não saia de forma alguma.

Esse eu não recomendo, embora muita gente fale bem da henna, vale ressaltar que a concentração dela na composição é mínima.

Agora o último que parece o mais escuro (mas não é) é o novato da coleção Be Russet da Leads.

Comprei para experimentar e me apaixonei por ele, é um cobre super natural, na medida certa, que demora bem mais para sair e como a embalagem é maior que os anteriores, vale a pena o preço (média R$ 55).

Mas de qualquer forma, esse último irá ganhar uma resenha só dele, com o antes e depois.

É isso, já usei esse aqui tb da Vitabelle e o da Bien que ainda não fiz resenha.

Embora não tenha gostado do keraton henna, nada se compara ao estrago e péssimo atendimento da SAC do Garota Veneno da Lola!

Esse eu não recomendo nem para minha pior inimiga, comentei sobre a encrenca aqui!