Cabecalho

04 fevereiro 2011

Indicação de séries: Big Love

biglove

Hj vou voltar a falar um pouco sobre séries já que não comento mais aqui no blog como antes!rs

Eu já começo a ter vontade de acompanhar algum seriado quando é feito pelo HBO, não são todos que são ótimos, porém o “pior” ainda é bacana.

Comecei a assistir Big Love depois de acompanhar alguns capítulos na madruga do SBT, eu tinha preconceito, mas mereceu uma chance rápida e me ganhou.

A trama t pega de um jeito q faz vc querer saber o final, tanto q a série já está na 5 temporada, e acreditem quando eu falo que é elaborada só por gente fera.

Para começar, seus criadores e produtores executivos são Mark V Olsen e Will Scheffer, um casal gay que pesquisou o tema poligamia por mais de 2 anos antes de começarem com o seriado.

Então o q vemos por lá não é aquela caricatura ou visão superficial, mostra a realidade de muitas famílias religiosas principalmente dos Estados Unidos, outro produtor da série não é ninguém menos do que o ator Tom Hanks (acredito q ele de o clima meio parado mas legal estilo Forrest Gump e Naufrago a série).

Além disso, toda a trilha sonora foi selecionada por David Byrne, e a maioria dos episódios são dirigidos pelos mesmos diretores da minha série do coração A Sete Palmos.

Vamos ao resumo:

 

Big Love

(Amor Imenso)biglovethefam1

Bill (Bill Paxton) seria um típico cara normal, é dono de uma loja de construção, aparentemente honesto, marido dedicado…porém de 3 esposas.

Ele cresceu em Juniper Creek, uma comunidade rural polígama, e logo adolescente foi expulso de casa pelo pai (até então prática normal lá), e teve q se virar nos 30 para ganhar dinheiro.

Como já disse no começo, se deu bem, mas a história remete a isso pq a todo momento descobrimos passagens obscuras da vida de Bill enquanto estava no estado de necessidade.

A família polígama conta com a sua 1 esposa Barb (Jeanne Tripplehorn) que resolveu “aceitar” a vontade do marido em ter mais uma esposa quando estava doente (câncer) e pensou q iria morrer, deixando ele e seus filhos desamparados.

A 2 esposa Nicki (a famosa designer de moda Chloe Sevigny), que é filha do vilão falso profeta que assumiu a comunidade, e segue fielmente toda a sua religião (mesmo quando a finalidade é desviada).

Não discute, não reclama, apenas faz aquilo q toda ‘boa mulher” deveria fazer…até então vcs devem imaginar a coitada como uma retardada, mas o seu “brilho” fica por conta da sua personalidade submissa, porém forte (é briguenta, marrenta e bate o pé q nem criança) é a minha favorita (mas só agora na 5 temporada que arrumaram seu cabelo, pq ate então se vestia como uma mulher de Juniper, então dava vontade de pular na televisão com uma tesoura na mão).

Depois da doença da primeira esposa, das birras da segunda, Bill ainda consegue forças para ter a terceira…Margene (Ginnifer Goodwin) que começa como menininha novinha bonitinha e bobinha (gerando o ciúme nas outras esposas),  e se torna a cada episódio da série uma mulher forte (o bacana é acompanhar a sua aceitação na família que foi bem resistente até).

Então Barb é a “líder” e tem o bom senso ao seu lado, Nicki a esposa dedicada e submissa que só arruma confusão (família problemática, segredos ultra guardados, compulsiva por compras, e por ai vai) e Margene q é a “novinha” problemática tb, porém divertida.

Agora quem pensou q o cara era sortudo, quando assiste a série desanima, imaginem só 3 mulheres disputando a atenção do mesmo homem, brigando, arrumando confusão e ainda tendo q sustentar 3 casas e inúmeros filhos.

Pois é, nem tudo são flores…eu devo confessar q amo essa parte, não querendo desrespeitar a religião de ninguém, mas ver o Bill se fudendo  garante a minha diversão.

Vamos lá neh gente, o cara cresceu no meio disso, claro q iria querer tb!

A segunda até q tudo bem (escrevo isso com peso nos dedos) por causa da doença e tudo mais, mas a 3 poxa ai já é sacanagem ,e não pensem q para por ai quase chegou a ter quase a 4!

É um drama divertido de acompanhar, muito bem desenvolvido, com atores e personagens ótimos, quem gosta de ver o bonzinho idiota se ferrando vai curtir, realmente foi uma série sensacional.

Ao q tudo indica, essa 5 temporada será a última, eu estou feliz com isso pq mesmo gostando da série já está perdendo a sua graça.

A história foi longe demais, então antes de ficar ruim, é melhor acabar…

Mas as primeiras temporadas são sensacionais, super recomendo, vamos deixar o preconceito de lado (nem se for para assistir com pipoca e ficar xingando o Bill), pq vale a pena (muito mais antes, mas ainda não é de se jogar fora).

Obs. a série contava até a 4 temporada com a nossa musa fashion Amanda Seyfried, só que sem nenhum glamour claro, muito bacana conferir.