Cabecalho

08 fevereiro 2011

Resenha do Carlos: Photoprot fps100

Bem como eu falei semana passada, o Carlos resenhou uma série de protetores solares, mas para o post não ficar gigantesco resolvi fracionar a resenha…

Ele já falou sobre o minesol e o da vichy, então hj será sobre um protetor que eu ainda não conhecia, mas agora já corro dele (rs).

Vamos lá:

file_2293

Photoprot Bloqueador Solar 40ml em torno de R$ 80,00 (mas depois de comprar vi por R$ 65,00, que raiva!)

 

Editado do site: (...) Contém os mais modernos filtros, que asseguram a proteção adequada, além da vitamina E, que através de sua ação antioxidante auxilia na prevenção do envelhecimento da pele. (...) foi desenvolvido utilizando-se nanotecnologia. (...) não é oleoso e está indicado para todos os tipos de pele.

Bom, nem sei por onde começo. Tenho certeza que, quem começou a usar protetor solar a pouco tempo, deve ter pensado “Nossa, fator 100, que exagero.” Pois é, eu também acho um pouco de exagero, MASSSS, se a textura fosse confortável, um fator de proteção tão alto não exigiria que o produto fosse reaplicado ao longo do dia. Sem falar que, com essa propaganda, fiquei com muita curiosidade de experimentar. Infelizmente, de não-oleoso ele não tem nada. Ele é uma loção bem fluida. Assim que você passa, sua pele fica brilhante, bem brilhante. No primeiro dia que eu experimentei, na hora que a pele ficou brilhando, pensei: bom, daqui uns minutos a pele absorve. Nada. No dia seguinte, mesma coisa. E assim foram todas as vezes que usei: brilho total. Você pode pensar: “mas que inocência, achar que um protetor solar com fator tão alto não seria oleoso”. Bom, eu realmente acreditei que o produto poderia não ser oleoso, por causa da nanotecnologia, que pode alterar o sensorial de produtos oleosos, mas não foi o caso. A proteção que ele oferece é inegável: fui numa festa no clube ao ar livre, mas como estava muito sol e uso ácidos a noite, fiquei com medo de ficar com a pele manchada. Usei o dito cujo e reapliquei ao meio dia. Fiquei com o rosto brilhando, com aquele famoso aspecto de sujo, mas não tive nenhuma mancha. Com certeza não irei comprar de novo, mas não vou jogar fora o que sobrou. Posso usar em ocasiões extremas, como esta que relatei. O cheiro é ruim, mas não fica por muito tempo na pele.”

 

Pitaco: Realmente é muito complicado encontrar no mercado protetores com um fps alto, a textura sempre é mais oleosa, mas nesse caso pelo menos funciona para uma emergência.

Quando eu faço algum tratamento tb fico aplicando o protetor de 3 em 3 hrs (mesmo se a embalagem garantir que menos aplicações já são suficientes), pq quem vai ficar com a pele manchada sou eu, então para evitar problemas vale a pena o esforço!

Essa semana ainda publico as resenhas do banana boat!

Mais uma vez obrigada!

 

bjs