Cabecalho

03 setembro 2012

Deu errado: A culpa é de quem?

a culpa é d equem
Tem gente que chega aqui no blog xingando uma marca, um produto e algumas vezes sobra até pra mim!


Eu entendo toda a fúria de consumidora, decepcionada quando algum produto prometeu, mas não cumpriu.


Porém tem aquela história que sempre temos os 2 lados da moeda, então antes de se rebelar eu sempre procuro entender o que aconteceu, da mesma forma quando faço as resenhas no blog.


Se o produto promete x e y no rótulo, quando aplico independente do seu preço, quero ver o x e o y.


Mas isso para produtos simples, não aquelas químicas da pesada, porque nesse caso além do rótulo é necessário avaliar o cabelo e se é ou não compatível com aquilo que já usamos.


Por isso aqui no Testando não falo sobre alisamentos, EP, descolorações e etc.


Isso é o tipo de coisa que só analisando bem vamos saber se vai dar certo ou não, um palpite errado pode fazer alguém perder o cabelo, é igual tintura não dá para ter certeza da cor que vai ficar antes de passar.


Agora na semana passada, uma mulher chegou aqui no blog xingando até a minha décima geração porque recomendei uma máscara nutritiva comercial e assim que ela usou, seu cabelo caiu.


Não entendi nada e pedindo mais detalhes fiquei impressionada com o tanto de química que ela já jogou nos fios, saca só: primeiro foi alisamento com guanidina, pintava os fios todos os meses, resolveu que precisava de uma escova progressiva para arrumar as pontas e no final fez luzes com descolorante.


Não entendi como ela ainda tinha cabelo, porque essa incompatibilidade toda resulta no previsível corte químico, porém com a infeliz coincidência de ter começado a usar a máscara na mesma semana das luzes e da EP.


A culpa é minha, da marca ou do mercado que vendeu? Não, nessa história só vejo 2 culpados, a própria por ter feito tanta loucura junto e a "profissional" que fez tudo isso sem a menor responsabilidade.


A mesma coisa acontece quando uma marca descreve nos desamareladores, por exemplo, que o tempo de pausa é de 10 minutos.


Mas como ex-loira sempre acabava deixando bem mais que isso para um efeito potente, que algumas vezes dava certo, porém outras não e meu cabelo ficava chumbado.


Vou reclamar com a marca? Não, quem assumiu esse risco fui eu.


Por isso uma dica muito boba que sempre funciona, anote todas as químicas que vc faz no salão ou em casa, com a data e o nome da marca.


Lembramos o que usamos no cabelo 3 meses atrás, porém quando aumentamos esse prazo, muitas vezes esquecemos e o cabelo processado continua no comprimento ou pontas.


Assim se surgir uma química nova e der muita vontade de usar, primeiro devemos pegar o caderninho e ligar ou mandar um e mail para todas as marcas das químicas anteriores, perguntando sobre a sua compatibilidade.


Como comentei, pode parecer "bobo", mas pelo menos é meio caminho andado para evitar problemas maiores.


Se vc tem uma boa profissional para cuidar dos seus cabelos comemore, afinal de contas vc faz parte de um seleto grupo que conseguiu isso, mas se vc como a maioria ainda não encontrou alguém que pode confiar de olhos fechados confie desconfiando sempre.


Anote todas as químicas, pesquise sobre seus ingredientes e como funciona, no caso de dúvida pergunte para a marca fabricante.


Nesse mercado tem muita sujeira sim, se vc está por sua conta e risco, é pelo menos uma forma de mais garantias.


Reclamar é válido sempre, temos direitos e quando não cumpridos temos que partir para luta, porém antes é necessário com bom senso saber se realmente a marca tem culpa ou não.


Esses dias vi no reclame aqui uma coisa meia absurda, uma consumidora estava descendo a lenha no x-tenso da L'Oréal porque se sentiu enganada, já que pensou que o produto era uma escova progressiva e na verdade era um alisamento.


Vamos partir do princípio que a L'Oréal nunca se envolveu com esse mundo das progressivas, basta jogar no google que em menos de 1 minuto chegamos na descrição correta do produto como alisamento, então a "culpa" não pode ser da marca.


Quem vendeu como tal ou aplicou de forma incorreta foi o profissional, esse que deveria estar no site de reclamações, não a marca.


Agora pergunto, antes de fazer não valeria a pena pesquisar um pouco mais sobre como funciona e seus prós e contras?


Por isso meninas e meninos consciência sempre, uma coisa é o produto não funcionar, outra bem diferente é não saber o que está usando.